quinta-feira, 17 de setembro de 2015

Itacaré com criança


Fomos para Itacaré em março/2015 para brindarmos o casamento de Fernandinha e Salih. E claro, aproveitamos pra curtir essa maravilha!!!

Como chegar em Itacaré? Nós fomos de carro pelo ferry. É a melhor opção pra quem vai de Salvador. Pegamos o ferry-boat para Bom Despacho (ilha de Itaparica) e seguimos até Itacaré pela rodovia BA-001. Para quem vem de Ilhéus, o acesso é direto pela BA-001, seguindo o litoral.

Pra quem vai de avião, o aeroporto mais próximo fica em Ilhéus, a 72 quilômetros de Itacaré. Táxis oferecem serviço de transfer do aeroporto até o Centro de Itacaré.

E quem vai de ônibus pra Itacaré? Ônibus das empresas Águia Branca e Cidade Sol operam de hora em hora entre o terminal do ferry-boat de Bom Despacho e Itacaré. O preço da passagem está em torno de 35 reais. O tempo de viagem é de aproximadamente 5 horas. Há também linhas de ônibus para Itacaré saindo de Ilhéus, Itabuna, Feira de Santana, Vitória da Conquista e Porto Seguro.

Os ônibus que operam entre Ilhéus e Itacaré são da companhia Rota (tel: 73 3251-2181). O primeiro sai às 5h15 da manhã. Depois, tem um ônibus toda hora até 19h40. O preço da passagem está em torno de 14 reais. A viagem dura no máximo 1 hora e 40 minutos. (Informações copiadas do site Itacaré.com.br)

Agora vamos falar de Itacaré. A cidade surgiu às margens do Rio de Contas, a partir da fundação da Igreja de São Miguel, que passou a dar nome ao povoado: São Miguel da Barra do Rio de Contas. Somente em 1931, passou a chamar-se Itacaré.

Nós ficamos na Praia da Concha pra ficarmos perto do local do casamento. A pousada escolhida foi a Porto dos Casais Guest House Itacaré. Muito boa!!! Amei o nosso quarto. A diária foi R$ 238,00 com café da manhã. Mais opções de hospedagens veja aqui.




Fomos na sexta e voltamos no domingo. O casamento foi no sábado. No sábado cedo saímos andando em direção ao centro e encontramos um “moço” que nos ofereceu um passeio de canoa até a Cachoeira do Rio do Engenho (ou Cachoeira do Cleandro). O nome dele é Paturi. Ao chegar lá podem entrar em contato com ele e combinar o passeio.


 


Que passeio gostoso. Visual lindíssimo!!! Paturi ia contando as histórias da cidade pra gente. O acesso à cachoeira que tem três quedas-d'água e piscina natural é feito pelo Rio de Contas - a navegação dura cerca de uma hora. Pegamos a canoa na praia e depois atravessamos o rio.

 
 
 

 


Chegamos à pousada só para almoçar e descansar para o casamento que foi muito lindo. Foi realizado no Aldeia do Mar Hotel, pertinho da nossa pousada.

 
 

 

 

No domingo fomos caminhando pelas praias. Passamos pela Praia do Resende, Praia da Tiririca e paramos na Praia da Ribeira, onde tem o rio. Nem tomamos banho no mar da Ribeira, só no rio. É lá que tem a tirolesa. Parte do caminho fomos andando pela praia e outra parte pela estrada. Uma andada boa, mas tranquila. Se quiserem, podem pegar um táxi até lá.


  
 
 
 




Pra comer tem muitas opções... a la carte, a quilo, lanches diversos. Nós comemos em um restaurante a quilo na orla (não lembro o nome) e no Marley's Itacaré (Av. Castro Alves, 284, Orla – Centro - Restaurante Internacional, Lounge Bar. Aberto das 07h30h às 23h. Música ao vivo. Tel: 73 - 9931 8975). Na nossa pousada também tinha refeições apetitosas. Mais dicas aqui.

Pra quem curte ecoturismo, arvorismo, rafting e muito mais, veja as dicas no site Itacaré Guia Turístico on line.

Na volta ainda demos um pulo na Cachoeira da Pancada Grande, que fica a 48 km ao sul de Valença, localizada numa APA (área de proteção ambiental). Possui uma queda d’água de 50m. Dá pra tomar banho nas piscinas naturais formadas tanto na base quanto no topo. A água é gelaaaaaaada...



 

Voltamos novamente pelo ferry-boat. Atenção: utilizem o serviço de hora marcada. Principalmente em “feriadões” o ferry costuma ter filas enormes. Comprem pelo site.

Beijos e até a próxima!!!